associe-se a apeam
Curitiba/PR, Segunda, 19 de Novembro de 2018

[II ESBEA] Carta de Foz exalta força e protagonismo da engenharia ambiental e sanitária

« voltar

Nove entidades de classe da região Sul ligadas à engenharia ambiental e sanitária assinaram a Carta de Foz do Iguaçu, ao fim do II Encontro Sul Brasileiro de Engenheiros Ambientais e Sanitaristas, realizado de 24 a 26 de outubro, no Hotel Golden Park Internacional, em Foz do Iguaçu. Foram dias de muita troca de experiência e ampliação do conhecimento reunindo representantes de mais de 13 estados brasileiros, com cerca de 400 participantes.

Nas considerações finais da Carta de Foz, ficou evidente a força e representatividade exercida pelos profissionais da engenharia ambiental e sanitária de todo o Brasil.

Neste II Encontro Sul, ocorreram debates, mesas redondas, minicursos e palestras e visitas técnicas, uma programação dedicada especialmente para as profissões envolvidas diretamente no evento.

O encontro também reservou espaço para apresentação de bons trabalhos científicos. Foram 206 selecionados apresentados durante o II ESBEA. As entidades de classe também aproveitaram a oportunidade ímpar de se reunir em fóruns, como por exemplo o II Fórum de Entidades de Classe, coordenado nesta oportunidade pela FNEAS (Federação Nacional das Associações da Engenharia Ambiental e Sanitária). Os outros fóruns realizados em paralelo ao evento foram o II Fórum de coordenadores de curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Região Sul e o 1º Fórum de Empresas Juniores.

Em relação ao Fórum de Entidades de Classe do Sul do Brasil, todos entraram em consenso quanto a necessidade de assumir uma postura de protagonismo, na disseminação do conhecimento por intermédio do aprimoramento técnico na tríade tabulada pelo desenvolvimento ambiental, social e econômico sustentável em apoio aos municípios.

As entidades apontaram como caminho a definição de estratégias para dar fôlego à saúde financeira das associações. Para isso, enxergaram na submissão de projetos nos Editais de Chamamento do Confea e CREA´s, parcerias com a Mútua e organizar com maior frequência eventos e cursos voltados ao aprimoramento profissional. Incentivar a criação de novas entidades de classe, como forma de estimular a descentralização de encontros e outros eventos. Estreitar a relação entre entidades e instituições de ensino superior é outro item importante da Carta de Foz. A criação de um banco de dados nacional dos coordenadores de curso foi levantada pela FNEAS e obteve respaldo das entidades de classe. A ideia é dar visibilidade aos fóruns e colaborar com o desenvolvimento de mecanismos de estímulo à participação dos docentes nos debates.

Dentro do Fórum das Empresas Juniores, houve um consenso em relação à necessidade de se aproximar da sociedade e conscientizar que o movimento faz parte da formação acadêmica e não exercer qualquer tipo de competitividade com os profissionais, e sim, se unir pela força do Sistema.

O coordenador geral do II ESBEA (Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Ambiental e Sanitária) e também vice-presidente da APEAM, Luiz Guilherme Grein Vieira, classificou o evento como um sucesso e um momento tomado por um ambiente de troca de experiências e informações. O número de participantes dobrou em relação à primeira edição, realizada há dois anos em Joinville (SC). Nos dias, explicações e debates com os mais renomados profissionais das áreas de engenharia ambiental e sanitária do Brasil. Destaque para assuntos relevantes no contexto de desenvolvimento de uma nação, como o saneamento básico e a busca pela quebra de paradigmas em relação aos licenciamentos ambientais. As visitas técnicas também somaram ao conhecimento dos participantes, na CIBiogás, no Parque Tecnológico de Itaipu em Santa Terezinha de Itaipu, na Associação de Catadores.

“Dialogamos em torno de assuntos relevantes no cenário de conjuntura atual, com destaque para o licenciamento ambiental, em que tivemos três posicionamentos, com debates de altíssimo nível e na mesa redonda de encerramento, outro tema importante, o saneamento básico. Ambos, presentes em projetos tramitando no Congresso Nacional, e que necessitam de respaldo técnico, abrindo a porta para nos posicionarmos”.

 

APEAM

O presidente da APEAM (Associação Paranaense de Engenheiros Ambientais), Helder Rafael Nocko, apontou os assuntos mais relevantes tratados durante o encontro, com ênfase para licenciamento ambiental, saneamento básico, planejamento ambiental urbano e as atribuições profissionais perante o sistema CONFEA/CREA/MUTUA.

“A cada dia, nossa profissão e o nosso objeto de trabalho, o meio ambiente, estão mais em voga. Inclusive, virou pauta da eleição nacional atual”, pontuou. O ápice do evento foi a grande troca de experiências entre os participantes. Foram 360 inscritos, mais de 200 trabalhos científicos publicados e apresentados. “Pessoas com ideias surgindo a cada momento em prol do meio ambiente e conectados a pensamentos inovadores. Os jovens participantes são a garantia de renovação do sistema e das entidades”.

 

FNEAS

A FNEAS, representada no evento pelo presidente Renato Muzzolon Jr, iniciou o evento apresentando uma carta aberta aos presidenciáveis, lida aos participantes pela vice-presidente da FNEAS, Thaianna Cardoso. Em suma, tratou de manifestação apartidária e democrática sobre o atual momento. “Devemos ressaltar também a realização do Fórum de Entidades de Classe e uma reunião da federação”, frisou Renato. O desafio da FNEAS agora é assumir uma postura de protagonismo em relação ao debate sobre o Manual de Fiscalização de atividades na área ambiental, ao lado da Comissão Temática Socioambiental do Confea. Renato Muzzolon Jr. aproveita a oportunidade para convidar acadêmicos e profissionais para o X Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental, no próximo ano, em Recife/PE.

 

REVISTAS E APLICATIVO

Durante o II Encontro Sul, também foi lançada a Revista Paranaense de Engenharia Ambiental, uma parceria entre CREA/PR e APEAM, por meio de termo de fomento. A Revista fez grande sucesso e foi entregue para os quase 400 participantes do evento. A revista está disponível em versão impressa e também digital (http://www.apeam.com.br/apeam-lanca-primeiro-numero-da-revista-paranaense-de-engenharia-ambiental.html

No mesmo evento também foi lançada uma edição exclusiva da revista Técnico-Científica do CREA/PR. Foram selecionados os melhores artigos publicados evento para formar essa grande publicação. A revista está disponível em versão digital (http://creaprw16.crea-pr.org.br/revista/Sistema/index.php/revista).

E também o lançamento do aplicativo Engenharia Ambiental na Web. Os três projetos viabilizados por meio dos editais de fomento do CREA-PR, como auxílio para as entidades de classe e para os profissionais da engenharia do Paraná.

 

Prefeito de Foz recebe revista

Ainda como reflexo do II ESBEA, na segunda-feira (29), o prefeito de Foz do Iguaçu, Francisco Lacerda Brasileiro, o Chico Brasileiro, recebeu a diretoria da Associação Oeste Paranaense de Engenheiros Ambientais, ocasião em que a Revista Paranaense de Engenharia Ambiental foi apresentada ao chefe do Executivo.

 

(Vandré Dubiela – Assessoria II ESBEA)